Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal; Acessar formulário de pesquisa. Acessar mapa do site.

MPTO e órgãos ligados à segurança pública discutem desenvolvimento de Cartilha sobre Desaparecimento de Pessoas no Tocantins

Atualizado em 23/11/2021 00:00

O Ministério Público do Tocantins (MPTO), por meio do Centro de Apoio Operacional do Consumidor, da Cidadania, dos Direitos Humanos e da Mulher (Caoccid), realizou na última terça-feira, 14, uma reunião para discutir acerca da confecção da Cartilha sobre o Desaparecimento de Pessoas no Estado do Tocantins, bem como as atribuições de cada órgão envolvido. O encontro aconteceu na sede da Procuradoria-Geral de Justiça.


A reunião foi conduzida pela coordenadora do Caoccid, promotora de Justiça Isabelle Rocha Valença Figueiredo, e contou com a presença de representantes do Instituto de Criminalística, Diretoria de Polícia do Interior (DPI), Polinter, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Secretaria de Cidadania e Justiça (Seciju) e do Instituto Médico Legal (IML).


No encontro, os representantes dos órgãos destacaram alguns obstáculos em relação à coleta de dados dos desaparecidos, citando como exemplo a dificuldade no acesso a prontuários médicos e listas de pessoas privadas de liberdade, e pontuaram as formas como cada órgão pode contribuir para a integração e acesso dos envolvidos no atendimento de pessoas desaparecidas aos dados dos demais órgãos, como também suas colaborações na produção da Cartilha.


Ao longo da reunião, foram definidos encontros bimestrais para alinhamento e atualizações no desenvolvimento do projeto, assim como a elaboração de um fluxograma de cada organização envolvida no Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), para facilitar e aperfeiçoar a busca e localização de desaparecidos.


No encontro, os representantes dos órgãos destacaram alguns obstáculos em relação à coleta de dados dos desaparecidos, citando como exemplo a dificuldade no acesso a prontuários médicos e listas de pessoas privadas de liberdade, e pontuaram as formas como cada órgão pode contribuir para a integração e acesso dos envolvidos no atendimento de pessoas desaparecidas aos dados dos demais órgãos, como também suas colaborações na produção da Cartilha.


Ao longo da reunião, foram definidos encontros bimestrais para alinhamento e atualizações no desenvolvimento do projeto, assim como a elaboração de um fluxograma de cada organização envolvida no Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID), para facilitar e aperfeiçoar a busca e localização de desaparecidos.


Acesso Rápido