Menu de acessibilidade. Ao pressionar a tecla tab você navegará pelos atalhos que permitem acessar áreas do site. Acessar conteúdo principal; Acessar formulário de pesquisa. Acessar mapa do site.

Alunos de Escola Rural de Colinas participam de palestra sobre bullying

Atualizado em 24/11/2017 00:00

Daianne Fernandes


Prática cada vez mais comum nas escolas, o Bullying é um tipo de violência que muitas vezes passa despercebido, mesmo entre aqueles que o praticam. É com foco de alerta para as diversas formas que o bulying pode tomar e os prejuízos que causam à vida de quem é vítima e até mesmo de quem pratica, que o Ministério Público Estadual (MPE) realizou palestra na Escola Família Agrícola (EFA) Zé de Deus, na zona rural de Colinas.


A palestra foi ministrada na última quarta-feira, 22, pela Promotora de Justiça Thaís Cairo Lopes, que substitui o Promotor de Justiça da Infância e Juventude local.


Além do bullying, foram abordadas questões sobre cidadania, discriminação, homofobia e pequenos delitos, entre outros. A EFA funciona em regime de internato e como os alunos passam muito tempo juntos, a quantidade e a diversidade de conflitos são bem maiores do que em uma escola normal.


Bullying

O bullying é uma situação de violência, caracterizada por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas, Quando praticado por um adulto, constitui crime e quando cometido por adolescentes, consiste em ato infracional.


A Promotora deve realizar dois encontros na escola ainda este ano, para conversar com alunos de outras turmas, abrangendo todo o corpo discente local.


Investigação

Após a visita à unidade escolar, a Promotora de Justiça que também atua na área do patrimônio público ainda instaurou um procedimento para investigar o destino dos recursos que seriam utilizados para a construção de um prédio dentro da escola, que serviria como espaço para dormitórios e refeitório. A obra chegou a ser iniciada, mas está parada há mais de um ano.


A Instituição fazia parte da rede municipal de ensino, mas em abril do ano passado passou a integrar a rede estadual de ensino, na modalidade educação do campo. Atualmente, atende cerca de cem estudantes com o curso técnico em agropecuária.

 

Acesso Rápido